As consequências sociais no Brasil após a pandemia

 

A pandemia do novo coronavírus deve produzir sérias consequências sociais em um país já marcado pela desigualdade. Dentro deste contexto, os projetos sociais deverão se adaptar para atuar de forma complementar aos governos a fim de amenizar esses impactos. Saiba quais devem ser as principais necessidades desse novo momento nesse artigo de reflexão da IAM.

De acordo com reportagem do Correio Braziliense, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) prevê uma elevação do desemprego na América Latina e no Caribe. A subida deve ser de quatro a cinco pontos percentuais. Em um cenário econômico tão adverso, um número maior de jovens fica desempregado, empresas fecham as portas e os rendimentos mensais são reduzidos.

O aumento da população em situação de rua é outra triste consequência da pandemia. O IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) publicou estudo que o número de pessoas em situação de vulnerabilidade social cresceu 140% a partir de 2012, chegando a quase 222 mil brasileiros em março de 2020 e sinaliza que a tendência é de alta após a pandemia. A maioria vive no Sudeste, Nordeste e Sul.

As estimativas do número de pessoas podem passar fome após a pandemia também assustam. Agências da ONU (Organização das Nações Unidas) projetam que mais de 132 milhões de indivíduos podem sofrer com a escassez de alimentos, básicos para a sobrevivência.

Uma das áreas mais importantes para o desenvolvimento de qualquer país, a educação também sofrerá impactos negativos após a pandemia. As desigualdades tendem a se aprofundar. Com a suspensão das aulas e a adoção do ensino remoto, o “abismo tecnológico” ficou ainda mais evidente. São aspectos que compõem esse panorama: a maioria das escolas, principalmente públicas, não contam com o suporte necessário para oferecer ensino à distância com plataformas digitais eficientes; as crianças e adolescentes não eram acostumadas com essa metodologia; muitos estudantes não possuem acesso a computador e internet de qualidade; muitos professores não tinham o treinamento necessário; entre outros fatores. Tudo isso contribui para a evasão dos alunos.

 

O papel dos projetos sociais após a pandemia

Tendo em vista este cenário tão complexo, os projetos sociais ganham importância para complementar a ação dos governos nas três esferas para lidar com as consequências sociais trazidas pela pandemia. E, por outro lado, esses projetos terão que se adaptar também. Um exemplo disso é a reinvenção digital, ter uma presença mais forte nas redes sociais para atrair um número maior de parceiros e doações.

Um dos efeitos que podem ser benéficos para os projetos sociais é se o nível de engajamento e doações se manter alto como vimos durante a pandemia. Não faltaram iniciativas para arrecadar alimentos, roupas, brinquedos, entre outros itens, e dar a quem a precisa. As empresas também ajudaram mais e o apoio delas será fundamental.

A IAM está nessa luta em prol da igualdade e conta com a solidariedade de todos para enfrentar as consequências sociais da pandemia com projetos para melhorar a qualidade de vida população em situação de vulnerabilidade com foco na educação. Conheça o trabalho da IAM, clique aqui e apoia esta causa.